Assumimos que tecnologia e a inovação grandes motores de desenvolvimento sustentável e inclusivo. Territórios inteligentes e tecnologias frugais que dão origem a serviços inteligentes, desenhados para dar resposta às necessidades reais das pessoas. Design de serviços inovadores para melhor servir os seus utilizadores.

 

Design de Serviços

Cada vez mais, é necessário ter um pensamento estratégico quando se desenvolve um novo serviço. A orientação de todo o processo de criação de um novo produto ou serviço está no centro do nosso negócio.

A Bag aplica metodologias de design thinking para a co-criação de serviços e produtos com as equipas de desenvolvimento mas também com os utilizadores finais a quem se destina o serviço.

O Design de Serviços assenta num processo de identificação de necessidades, ideação de soluções, selecção de protótipos, prototipagem, teste e, por último, lançamento.

É através deste processo iterativo e de descoberta constante que quebramos barreiras à mudança, ideias pré-concebidas e promovemos a criatividade, a experimentação e a inovação.

No nosso entender, esta abordagem aplica-se ao sector empresarial, mas também ao sector social e ao sector público. Neste último, o design criativo de serviços públicos, envolvendo os cidadãos, pode levar à eficiência na utilização de recursos, permitindo a sua melhor aplicação onde eles são mais necessários.

Estratégias e
Planos de Inovação

Na criação de uma estratégia e plano de inovação definimos e priorizamos os eixos de actuação, optimizando os recursos existentes no território.

Desenvolvemos a estratégia auscultando a população local e as forças vivas do território e criando envolvimento entre todos os actores.

Aliamos os recursos existentes no território com o nosso conhecimento sobre as melhores práticas a nível internacional no que diz respeito a metodologias de inovação aberta aplicada ao território e à definição de estratégias de Especialização Inteligente.

Criamos uma visão inovadora do território capaz de motivar sinergias para promoção da captação de investimentos, criação emprego e melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

Observatório Urbano

Um Observatório Urbano assenta num sistema de armazenamento e tratamento de dados provenientes de medições sensorizadas ou disponibilizados pelos cidadãos por outras vias.

Os dados a recolher e a tratar centram-se nas mais variadas dimensões do território como: População; Economia; Educação; Desenvolvimento e Inclusão Social; Energia e Ambiente; Cultura e Comunidade; Segurança; Gestão de resíduos; Tecnologia e Inovação; Finanças; Sistemas de Emergência; Governança; Saúde; Transportes; Ordenamento do Território e Planeamento Urbano e Águas e Saneamento.

Os Observatórios Urbanos são particularmente relevantes para o entendimento da vida da cidade, numa óptima de melhoria dos serviços públicos, de governo aberto e de auxílio à tomada de decisão não só politica mas também técnica.

Os Observatórios Urbanos potenciam também a descentralização e fortalecimento do poder local, acrescentando transparência, responsabilidade e eficiência ao governo do Município. Por outro lado, encorajaram e suportaram a participação e o envolvimento cívico, fomentando assim uma governação mais eficaz e uma melhoria dos níveis de serviço.